sábado, 21 de setembro de 2013

O plantio do axé no terreiro de Umbanda

O ritual de Umbanda apresenta-se com uma mistura de rituais e crenças das mais variadas. Em uma simples observação do funcionamento de uma sessão, vemos diversos ritos em funcionamento, dando como resultado o rito Umbandista. Crenças espíritas se misturam a africanistas, com alguma coisa de cristianismo, catolicismo, e também com crenças orientais. Tomando como base o rito africanista, e a presença dos Orixás na Umbanda, surge a dúvida: Será que existe o plantio do axé em um terreiro de Umbanda?
Tal assunto surgiu em decorrência de um bate papo com uma irmã de fé, com relação a energia circulante em um terreiro. Cada templo reflete a energia de seu guia chefe, do Orixá patrono do templo, acrescido da egrégora do seu próprio dirigente. Tudo isso pode parecer um pouco estranho, mas o fato é que basta entrar em um templo para se distinguir isso. É claro que se faz necessário o médium ter um pouco de sensibilidade para sentir estas energias.
O primeiro ponto que nos faz refletir sobre o tema é a presença do Orixá na Umbanda. Não trabalhamos diretamente, como no Candomblé ou Batuque com os Orixás, mas os cultuamos, louvamos, invocamos, oferendamos e recebemos sua presença através dos guias espirituais que baixam nos terreiros sob sua égide. Indo um pouco mais longe, assistindo uma entrevista com o Prof. Agenor Miranda Rocha, o Pai Agenor(póstuma), um dos mais importantes nomes do Candomblé no Brasil, faz declarações desconcertantes. “A força do candomblé está no sangue verde das plantas e não no sangue vermelho dos animais”, comenta para condenar os sacrifícios em cultos. Vai mais além, quando diz que tudo evoluiu, porque a questão dos sacrifícios não pode evoluir?
Estou convencido de que um terreiro de Umbanda não pode funcionar sem o plantio do axé(força vital que movimenta o mundo), pois necessariamente movimenta estas forças no seus ritos. A presença das folhas na Umbanda é totalmente necessária, mostrando a presença forte do Orixá Ossain, assim como na defumação, que é também a base de ervas. Trabalha-se  também com os minerais, metais, o fogo e muito fortemente com a presença da água nos rituais, além de ser um culto extremamente naturalista, fazendo questão de diversos de seus ritos serem realizados na própria natureza, o que assegura o axé de todos Orixás na Umbanda.
Seguindo o raciocínio de Pai Agenor, o axé pode ser plantado com o sangue das plantas, pois na Umbanda não se admite o sacrifício animal, somente vegetal e mineral, sendo de grande importância para a harmonia e vitalização do terreiro o plantio do axé.

Nenhum comentário: