sexta-feira, 4 de outubro de 2013

30 de Setembro, dia de Xangô

Dia 30 de Setembro, dia consagrado a Xangô, devido ao sincretismo com São Jerônimo, temos então as homenagens a este Orixá, que nos dizeres do povo de santo, é o santo do raio, do trovão, da justiça e do fogo. Castiga os mentirosos, os ladrões e malfeitores. Seu símbolo principal é o machado de dois gumes e a balança, símbolo da justiça. Tudo que se refere a estudos, a justiça, demandas judiciais e contratos, pertencem a xangô.

Suas decisões são sempre consideradas sábias, ponderadas, hábeis e corretas. Ele é o Orixá que decide sobre o bem e o mal. Ele é o Orixá do raio e do trovão. Miticamente, o raio é uma de suas armas, que ele envia como castigo. Ninguém, porém, deve temer sua cólera como uma manifestação irracional.

Para alguns esclarecimentos a mais sobre este Orixá na Umbanda, recorri as palavras de Omolubá, respeitado sacerdote e escritor Umbandista.

Xangô é o detentor do 5º Raio. Agente direto do Carma sua importância revela-se engrandecida no decorrer dos milênios.
Eqüidade, equilíbrio e justiça, perseverança e prudência são apanágios de sua irradiação por todo planeta.
Xangô manifesta-se no aspecto físico através das imensas cordilheiras, maciços, pedreiras e rochas, que se estendem pelos quatro cantos do mundo.
Do cimo das mais altas formações empedradas, Xangô controla, assiste e coordena com presteza todo esplendor das tempestades, trovões e relâmpagos e toda a candente e ígnea manifestação do fogo no espaço sidéreo
O grandioso Orixá está entronizado na pedra engastada no flanco do mundo; sua missão consiste em advertir os viventes da necessidade maior de fazer justiça com consciência e discernimento das próprias condições individuais e conseqüentemente, da humanidade terrena.
Cabe ao Exu Tiriri e a sua legião de guardas o trabalho de servir o grandioso Orixá de Umbanda.
As “curimbas” revelam a fé e o destemor dos seus filhos:

“Lá no alto da pedreira
está Xangô,
Senhor do meu destino
até o fim.
se um dia eu não quiser
a fé daquele me dá
que caia esta pedreira
sobre mim”.

Júpiter é o planeta consagrado a Xangô. Seu dia, quinta-feira.
Cor: marrom, nas vestes, toalhas, “guias”(colares), enfeites e até nas flores que lhes são ofertadas.
Elemento – Fogo
Metal – Estanho
Mês dedicado – junho
Flores – Gerânio, cravo-da-índia, manjerona e jasmins.
Frutos – Abacaxi e ananás
Bebidas – Sumo de suas ervas e cerveja preta
Saudação: Afaga-se a própria cabeça de ambos os lados e exclama-se: “Kaô cabecilê! Kaô cabecilê! Kaô cabecilê! ” do Yorubá: “permita-nos olhar para Vossa Alteza Real” ou “Desejamos longa vida para Vossa Majestade!”

Fonte: Casa Branca de Omolu 

Nenhum comentário: