Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2013

Os Búzios na Umbanda

Queridos irmãos, o jogo de buzios, tem que ser jogado primeiramente por um sacerdote com autorização dos Orixas, mas por curiosidade vamos conhecer um pouco sobre este maravilhoso instrumento de mensagens.
Conhecemos o jogo de búzios de origem africana, popularizado no Brasil pelos cultos de Orixá.
Será que existe um sistema tipicamente brasileiro, que os irmãos e irmãs de Umbanda podem utili­zar?
Sim.
A Concha de Caboclo é uma forma tradicional de geomancia, utiliza da por alguns mestres adivinhos da Umbanda e da Jurema (ou Catimbó) do Norte e Nordeste.
O antigo Catimbó não possuía um sistema adivinhatório, mas alguns sacerdotes e babalawos que foram iniciados no culto, sabiamente desenvolveram o sistema da “Concha de Caboclo” sob a direção das entidades espirituais da mata.
Nasceu então um sistema de doze búzios, onde respondem doze entidades de origem indígena (Caboclos), de modo semelhante ao merindilogum yorubano onde falam os Orixás.
O oráculo possui treze significados (12 + 01), segun…

Caboclo da Lua

Encontrei esta publicação em outro site, a qual achei de muita inspiração, e também por se tratar de meu guia pessoal de trabalho, o Caboclo da Lua, reproduzo abaixo:

A madrugada, é o momento lírico do encontro da alma. Do eu interior, com o mundo silencioso, ornamentado pelo firmamento.
No brilho das estrelas, no imaginável que é o infinito, o ser se encontra mais perto de um ente superior. Deus..
Tão necessário, tão questionável, mas tão indispensável.
O Espaço nos parece mais leve, mais sutil, e o coração pode expandir em realidade, todo o seu sentimento.
E a sensibilidade vem mostrar, a pureza de sentimentos, muitas vezes guardada pelo excesso de afazeres, de um mundo Material.
A Aurora de um novo dia, é o reinício de mais uma jornada, de mais uma etapa a ser cumprida.
Feliz é aquele que entende, o quão bela é a vida, e a existência de um ser perfeitamente harmonizado.
No dia a dia, as atribulações muitas vezes, nos tiram a harmonia para com as nossas entidades. Mas um momento de silêncio…

Significados dos nomes simbólicos dos caboclos da Umbanda

Os nomes simbólicos dos Caboclos da Umbanda, também dos Exus, Pretos-Velhos, enfim, de todos os guias, mentores e protetores da Umbanda são carregados de significados. Os nomes, além de indicar seu campo de atuação, nos dizem em quais vibrações estas entidades estão sintonizadas e irradiando estas mesmas forças. Além dos seus nomes, os pontos riscados pelos guias também indicam algumas particularidades suas, de cada entidade, pois as vezes um mesmo caboclo "Pena Branca" como exemplo, pode irradiar, além de sua vibração, mais algumas necessárias para desenvolver determinado trabalho.
Em uma tentativa de trazer algumas informações a respeito do assunto, sabendo das particularidades de cada entidade, coloco abaixo algumas informações sobre Caboclos, tendo como fontes os livros de Rubens Saraceni, “Doutrina e Teologia de Umbanda Sagrada” e “Tratado Geral de Umbanda”, ambos da Madras Editora:


Caboclo “Pena”: Todo Caboclo Pena traz uma qualidade voltada para ensinar, doutrinar. A pe…

4 de Dezembro, dia de Iansã

Comemoramos neste dia, pelo fato do sincretismo com Santa Barbara, o dia de Iansã na Umbanda.
Orixá dos ventos e das tempestades, é tida como uma Orixá guerreira e bastante temperamental, assim como os ventos e tempestades.
O maior e mais importante rio da Nigéria chama-se Níger, é imponente e atravessa todo o país. Rasgado, espalha-se pelas principais cidades através de seus afluentes por esse motivo tornou-se conhecido com o nome Odò Oya, já que ya, em iorubá, significa rasgar, espalhar. Esse rio é a morada da mulher mais poderosa da África negra, a mãe dos nove orum, dos nove filhos, do rio de nove braços, a mãe do nove, Ìyá Mésàn, Iansã (Yánsàn).
Embora seja saudada como a deusa do rio Níger, está relacionada com o elemento fogo. Na realidade, indica a união de elementos contraditórios, pois nasce da água e do fogo, da tempestade, de um raio que corta o céu no meio de uma chuva, é a filha do fogo-Omo Iná.
A tempestade é o poder manifesto de Iansã, rainha dos raios, das ventanias, do t…