domingo, 23 de fevereiro de 2014

Zélio F. de Morais nos fala sobre Exu

Transcreveremos para vocês uma parte de uma entrevista gravada com o Sr. Zélio Fernandino de Morais no dia 22 de outubro de 1970, que faz algumas referências aos Exus. 

1- Pergunta: Sr. Zélio, eu gostaria de fazer uma pergunta, é sobre o trabalho dos Exús. Existem tendas que dão consultas com Exús em dias especiais além das consultas normais de Pretos Velhos e Caboclos. Como o Sr. vê isso?
Zélio: Eu sei disto, que há muitas tendas que trabalham com Exús, eu não gosto porque é muito fácil se manifestar com Exú, qualquer pessoa médium, um mal médium se manifesta com Exú; ou também fingindo receber um espírito, por isso não gosto e fujo disto, na minha tenda não se trabalha com Exú por qualquer motivo.

2- Pergunta: Mas o Sr. não considera o Exú um espírito trabalhador como todos os outros Orixás?
Zélio: Depois de despertado; porque o Exú é um espirito admitido nas trevas; depois de despertado ele dá um passo no caminho da regeneração, aí é fácil ele trabalhar em benefício dos outros. Assim eu acredito no trabalho do Exú.

3- Pergunta: Não haverá casos em que outros Orixás vibrando em outras linhas não possam resolver de imediato alguns problemas de filhos e, não seria o Exú aí o mais indicado para resolver, por estar mais perto materialmente, por estar mais aceito nos trabalhos materiais?
Zélio: O nosso chefe, “o Caboclo das Sete Encruzilhadas” nos ensinou assim, e isto faz 60 anos, que o Exú é um trabalhador. Como na polícia tem soldado, o chefe de polícia não prende, o delegado não prende, quem prende são os soldados, cumprem ordens dos maiorais, então o Exú é um espírito que se encosta na falange, que aproveita para fazer o bem, porque cada passo para o bem que eles fazem vai aumentando a sua luz, de maneira, que quando despertado ele vai trabalhar, quer dizer, vai pegar, vai seduzir este espírito que está obsedando alguém, então este Exú vai evoluir. É assim que o Caboclo das Sete Encruzilhadas nos ensinava.

4- Pergunta: De que modo o Exú é um auxiliar e não um empregado do Orixá ou vice-versa?
Zélio: Eu não digo empregado, mas é um espírito que tende a melhorar, então para ele melhorar ele vai fazer a caridade junto com as falanges, correndo em benefício daqueles que estão obsidiados, despertando e ajudando a despertar o espírito para afasta-lo do mal que ele estava fazendo, então ele se torna um auxiliar dos Orixás.

Nenhum comentário: