quarta-feira, 16 de abril de 2014

Páscoa também pode ser comemorada pelos Espíritas?

Todos os anos comemoramos uma festa religiosa, na qual os cristãos celebram a Ressurreição de Jesus Cristo depois da sua morte por crucificação: A Páscoa.  
A Páscoa, que é Pesach, em hebraico, significa “passagem”.  Ela foi criada antes do nascimento de Jesus,  há mais de 3.500 anos, no Egito.  
Deus, através de Moisés, a instituiu para que os hebreus sempre se lembrassem de que, na última praga de Deus sobre o Faraó e seu povo, por desobedecerem a Deus, o povo israelita, que era escravo do Faraó, foi livre da “passagem” do Anjo de Deus pelo sangue do cordeiro imolado passado na soleira das portas das casas dos israelitas.
Sendo assim, eles celebram a Páscoa exatamente no dia anterior à saída deles do Egito, com uma ceia que tem elementos simbólicos do livramento deles.
Depois da vinda de Jesus Cristo, a Páscoa hebraica se transformou, para os cristãos, na Páscoa cristã, o cumprimento da profecia da 1a. Páscoa – salvação da passagem da morte eterna pelo sacrifício do Cordeiro de Deus, Jesus, que derramou Seu sangue.
E nos dias de hoje, temos os seguintes fatos: “Consumo de chocolate na páscoa deve crescer quase 10% este ano”, movimentando o equivalente a 4,4 bilhões no mercado nacional, de acordo com a IPC Marketing Editora.
Este é o verdadeiro significado da Páscoa?
O Espiritismo comemora a Páscoa?
Estas e outras questões são elucidadas quando verificamos que, apesar de não possuir rituais ou datas comemorativas específicas, a Doutrina Espírita respeita e não desaconselha esta celebração.
Podemos dizer que um dos pontos relevantes do Espiritismo é nos descortinar exatamente o futuro a partir da ressurreição. Com o Espiritismo começamos a seguir as pegadas do Cristo através “das muitas moradas da Casa do Pai”.
No Espiritismo também lembramos aqueles que deixaram seus exemplos e que foram importantes para a sua codificação.
O que está em contradição é o consumismo desenfreado de peixes e principalmente chocolate, atribuído muitas vezes como essencial motivo de reunião de familiares e amigos nesta época.
Devemos colocar em prática os ensinamentos de Jesus e entender o real sentido das religiões. Esta sim é a maneira correta de celebrarmos este e outros feriados religiosos.
Vamos consumir o que realmente importa e deixar um bom exemplo para as nossas crianças?
Em “O Evangelho Segundo o Espiritismo” capítulo VIII, Kardec esclarece o objetivo da religião:
“O objetivo da religião é conduzir o homem a Deus; ora, o homem não chega a Deus senão quando está perfeito; portanto, toda religião que não torna o homem melhor, não atinge seu objetivo; (…) A crença na eficácia dos sinais exteriores é nula se não impede que se cometam homicídios, adultérios, espoliações, calúnias e de fazer mal ao próximo em que quer que seja. Ela faz supersticiosos, hipócritas e fanáticos, mas não faz homens de bem. Não basta, pois, ter as aparências da pureza, é preciso antes de tudo ter a pureza de coração”.

Fonte: Rádio Boa Nova 

2 comentários:

Maria disse...

Muito bem colocado!

Michael Pagno disse...

Participamos e compartilhamos a crença no espiritismo, onde nossa escola e modelo é e sempre foi o http://centroespiritaportaldaluzrondinha.blogspot.com , onde a nobre irmã, Maria, é colaboradora e expositora espírita. Apesar de nossa mediunidade nos chamar na seara Umbandista, temos o maior respeito pelos irmãos. Um grande abraço e a todos do Centro Espírita Portal da Luz.