quinta-feira, 22 de maio de 2014

A palavra do Mestre - O Evangelho e a Umbanda

Os ensinamentos de Jesus, assim como a Umbanda, são simples e destituídos de fórmulas e símbolos complicados. Jesus nunca exigiu dos homens que se tornassem santos ou heróis sob a influência de seus ensinamentos. Ele ensinava a realidade dos céus no meio da vida comum, nas ruas, nas vielas, campos lares, sob as árvores, ou a beira da praia. Ele teve sua convivência por escolha no meio do povo aflito e sofredor, sedento por amor e um pouco de carinho, em vez de estar entre os eruditos, os políticos  ou entre as complicações religiosas do mundo. Seus ensinamentos eram compreendidos por todos, gravados com letra de fogo no coração de cada um, aceitos pela simplicidade das verdades inesquecíveis.

"Ama a teu próximo como a ti mesmo, faze aos outros o que queres que te façam. Quem se humilha será exaltado. Cada um colhe conforme suas obras."

Jamais outra regra de reforma íntima tão singela e espiritual poderia permear a Umbanda, cuja doutrina é tão simples, desprovida de pompas e libertadora. Nenhum outro mestre conseguiu em poucas palavras e em tão pouco tempo expor um código moral tão elevado (Evangelho) aos homens.
A Umbanda não pretende isolar-se na interpretação pessoal do Evangelho, tão bem explicado pelo Espiritismo. Aliás, não devemos esquecer que as explicações contidas no "Evangelho Segundo o Espiritismo", foram dadas por espíritos iluminados e de grande elevação, portanto, ser espírita é seguir os ensinamentos dos espíritos, o que nós, Umbandistas também fizemos.
Nós umbandistas, devemos ter como objetivo a redenção dos Espíritos por meio de uma conscientização contínua das verdades contidas no Evangelho de Jesus, sem aguardar o milagre da santidade instantânea. O Umbandista deve interessar-se profundamente pelo seus aperfeiçoamento e não eleger e confiar somente nos ensinamentos dos seus doutrinadores.
Não basta querer ter sua vida resolvida, crer numa vida espiritual eterna se ainda não se converteu às verdades e aos ensinamentos de Jesus.


Fonte de pesquisa: Revista Espírita de Umbanda. Ed. 6.

Nenhum comentário: