Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2014

Escolas Umbandistas

Na Umbanda, pela diversidade dos seus adeptos, há também uma diversidade de rituais e de formas de transmissão do conhecimento. A essas várias formas de entendimento e vivência da Umbanda denominamos Escolas Umbandistas.

As várias Escolas correspondem a visões mais próximas de suas matrizes formadoras: Indo-Européia, Africana e Ameríndia. Também se correspondem a visões mais voltadas aos aspectos míticos (concreta) e outras mais voltadas à essência espiritual (abstrata). Embora não haja consenso quanto à ritualística (método), que são as várias formas de manifestar e interpretar a Doutrina, a essência de todas é a mesma e são legitimamente denominadas Umbandistas.

Todas as Escolas Umbandistas estão baseadas na Tradição Oral. No mundo pós-moderno em que na academia tudo é Tradição Escrita, como podemos referenciar a Tradição Oral? Não é referenciar, mas sim entender o processo. Tudo começa na ideação (imanifesto) que se manifesta no pensamento (1ª instância), para a seguir se apresentar …

Documentário ‘Umbanda é Brasil’

O documentário ‘Umbanda é Brasil’ foi desenvolvido por estudantes de jornalismo da Unesp para a disciplina de Telejornalismo II, com o apoio do Professor Denis Porto Renó. O material revela a vivência que o grupo teve com a religião da Umbanda durante um dia normal de culto (a Gira) e também conta com falas de dois especialistas da Umbanda: Rodrigo Queiroz, que é sacerdote umbandista e colaborador fixo do Umbanda, eu curto!, e o antropólogo Cláudio Bertolli.
O objetivo do grupo  - formado pelos alunos Gabriel Cortez, Maitê Borges, Jayme Rosca e Solon Neto – foi desmistificar olhares preconceituosos em relação à Umbanda, suas práticas religiosas e seus praticantes. As mais de 32 mil pessoas que visualizaram o documentário até a publicação desta notícia também puderam entender melhor o processo de formação da religião e conheceram de perto um pouco mais sobre a ritualística da Umbanda.
Jayme Rosca conta que “a ideia era mostrar ao público a descoberta dos personagens sobre o que realmente…

A defumação na gira de Umbanda

A defumação em um terreiro de umbanda é de suma importância, ou mais, é essencial para qualquer trabalho num centro umbandista.
Certas cargas pesadas se agregam ao nosso corpo astral, durante nosso dia, ou seja pensamentos e ambientes de vibrações pesadas , rancores, invejas, preocupações, formas pensamento, larvas astrais e toda sorte de mazelas espirituais que causam desde pequenos resfriados, refletindo em nosso corpo físico, até complicações maiores em todo nosso soma.
A defumação tem o poder de desagregar estas cargas, pois interpenetram os campos astral e mental, higienizando nosso espírito e corpo de todas estas pragas espirituais que por ventura tenham se fixado, como sanguessugas em nossa contraparte astral.
Os defumadores são poderosos aliados para quem procura se livrar de maus fluidos, ficar com a alma leve e em harmonia. São muito usados, para a limpeza de ambiente, servem como repelentes, afastam os maus espíritos e atraem os guias de luz.
Muitas pessoas quando vão a algum t…

Fazer oferendas resolve nossa vida?

Saudações caro leitor(a) deste espaço. Sabemos que em matéria de fé, não devemos em hipótese alguma agredir, ou machucar a fé de qualquer um, independente de qual seja, falando de credos diferentes, e até dentro de nossa própria religião, pois há aqueles que acreditam em tudo que lhes é pregado, outros duvidam de alguma coisa, e quando isso acontece, saem em busca de uma explicação que prove ou não o contrário, estudam, e se aprofundam no assunto, fazendo de sua fé algo sólido e que seja condizente com o bom senso.
Onde queremos chegar com este discurso, e lembremos que ninguém é obrigado a pensar como nós, de que tudo, inclusive e principalmente dentro da religião tem de andar com o bom senso. Se o "ebó", ou a comida de santo fosse a salvação para todo ou qualquer problema, não haveria problemas no mundo. Bastaria fazer um ebó coletivo que todos os problemas da Terra seriam resolvidos. Não, não é assim que as coisas funcionam, principalmente quando falamos das coisas sagrada…

EXU x KARDECISMO

Este texto é parte integrando do material de apoio ao curso on-line Exu - O Guardião da Luz.
Alexandre Cumino

Salve amados irmãos é com muita alegria que recebo esta oportunidade para falar de Exu e vou aproveitá-la para esclarecer um assunto que me parece polêmico: o fato de existir ou não Exu trabalhando junto as correntes kardecistas.
Bem uma coisa é clara, para todos nós, em sua forma característica, eles não incorporam no kardecismo , isso é fato, mas afinal tem ou não espíritos no grau de “guardiões” a proteger o trabalho Kardecista ?
Para que cada um julgue e considere segundo suas concepções do que é um Exu, vou me limitar apenas a transcrever alguns trechos de livros da série "Nosso Lar" de André Luiz , psicografado por Chico Xavier:
* De súbito, um companheiro de alto porte e rude aspecto apareceu e saudou-nos da diminuta cancela, que nos separava do limiar, abrindo-nos passagem. Silas no-lo apresentou, alegremente. Era Orzil, um dos guardas da mansão, em serviço nas so…

Isto não é Umbanda!

Muitas vezes, quem chega em um Templo de Umbanda pela primeira vez vem cheio de receio, cheio de medo, temeroso de que esteja fazendo algo errado ou que alguém naquele ambiente possa prejudicá-lo.
As pessoas ouvem as histórias mais absurdas sobre a Umbanda e não é por acaso, eu também já ouvi histórias absurdas de casos acontecidos dentro de um local que se identifica como Terreiro de Umbanda. São histórias de abuso, de assédio, de constrangimento, de exposição ao ridículo, de calúnia, difamação, mentiras, fofocas, inveja, e toda sorte de ego, vaidade e outros desequilíbrios que assolam o ser humano. Não poucas vezes ouvimos casos de dirigentes que usam do Templo, de um suposto trabalho espiritual, para se aproveitar das pessoas que chegam pedindo ajuda, socorro, amparo espiritual e cura. Por conhecer muita gente, receber muita gente, acabo ouvindo muita coisa. Já ouvi até histórias de estelionato, e não foram uma, nem duas e, sim, muitas. É muito triste, quase que semanalmente, ouvirm…

Nosso Eledá ou Orixá de cabeça

Temos o conhecimento de uma inscrição no oráculo de Delfos, atribuída aos Sete Sábios ( 650a.C.-550 a.C.) que nos diz :Ó homem, conhece-te a ti mesmo e conhecerás os deuses e o universo.
Quando descobrimos nosso Orixá através do oráculo dos búzios, ou por outro meio, como por um guia incorporado no seu médium, normalmente temos uma curiosidade em saber as qualidades de tal Orixá, ou o arquétipo do filho do Orixá. É sabido que somos regidos por mais de um Orixá, ou seja, temos nosso Orixá de cabeça, este com maior influência sobre nós, mas temos ainda o Ajuntó, além de nossos Orixás de passagem, ou energias destes que influenciam em nossas vidas, mas a energia do nosso Orixá de cabeça, é de peso maior em nossa personalidade.
Conhecendo nosso Orixá de cabeça ou Eledá, passamos a nos conhecer de uma forma mais profunda, e com a força de nosso Orixá, também passamos a ter ferramentas mais eficazes para lidar com nossas limitações e falhas, tendo um conhecimento maior de nosso lado positivo …

13 de Junho, dia do Orixá Bará.

Sincretizado com Santo Antônio, este Orixá é saudado nesta data. Na Umbanda, não mantemos um culto específico a este Orixá, apenas o saudando e louvando em nossas preces, já que mantemos culto a Exu, através das almas que respondem nesta linha ou vibração de trabalhos na Umbanda, onde tem seu mês de festividades em Agosto. O Exu da Umbanda e o Orixá Bará guardam muitas semelhanças, e sua forma de trabalho por vezes se confundem aos olhos do leigo, mas guardam total diferença e separação em sua forma de culto, sendo Bará assentado, cultuado e louvado nos cultos de Nação, ou Batuque rio-grandense, e Exu, na forma como é cultuado na Umbanda, específico desta forma de ritual.



Bará é o Orixá dono de todas as encruzilhadas e caminhos, é o homem da rua, quem guarda a porta e o portão de nossas casas, quem tranca, destranca e movimenta os mercados, os negócios, etc. É quem detém a chave que tudo abre e tudo fecha. A importância de Bará é fundamental,
uma vez que ele possui o privilégio de rece…

SACRIFÍCIO (IMOLAÇÃO) ANIMAL

O material abaixo foi retirado da página do Facebook, do Centro Umbandista Caboclo das Sete Estrelas e Rei da Mata Virgem. Se trata de um assunto polêmico nas religiões de matriz africanas, ficando opiniões a critério de cada leitor, sendo todas elas dignas de nosso maior respeito.
Da mesma maneira, deixamos claro que não expressando a opinião da Tenda de Umbanda Xangô 7 Raios quanto ao assunto, colocamos aqui o mesmo com a intenção de esclarecer e levar o leitor amigo a reflexão sobre o assunto. Boa leitura.



O sacrifício animal é algo milenar que se faz presente nos cultos religiosos e em nossas mesas até os dias de hoje.
Sacrifício é a prática de oferecer alimento, ou a vida de animais ou pessoas, às divindades, como forma de culto.

O termo deriva dos radicais ‘sacro' e ‘oficio', ou seja, oficio sagrado.
Os motivos para a prática de sacrifícios são variáveis, conforme o sistema de crenças de cada religião.
Em algumas religiões, a palavra utilizada para sacrifício está associada à …

Diocese vai acionar Justiça contra grupos que destruíram imagens católicas no Sertão da PB

Nós, Umbandistas da Tenda de Umbanda Xangô 7 Raios, nos solidarizamos e repudiamos o ato cometido contra nossos irmãos católicos. Lembramos que a Umbanda é uma religião que respeita todas outras, e acredita que todas religiões são boas em essência, quem as faz ruins são seus fiéis.(Nossa opinião)

Notícia retirada do portal Correio.uol.com.br


Intolerância religiosa é o que pode se dizer sobre o fato ocorrido por um grupo religioso contra a crença da comunidade católica, que acredita em Nossa Senhora, que teve a imagem quebrada e queimada, na cidade de Carrapateira, a 384 km de João Pessoa, no Sertão da Paraíba. O caso foi identificado nessa terça-feira dia (3).

O município tem cerca de 2,5 mil habitantes. Além de quebrar, o grupo ainda urinou e cuspiu na imagem da santa de pouco mais de um metro.

O padre Quirino Pedro, administrador da Paróquia Santo Afonso, em Carrapateira, lamentou o episódio e a falta de compreensão de algumas pessoas. Segundo ele, a intolerância religiosa não leva a na…

As Sete Linhas de Umbanda

Zélio de Moraes não deixou nada escrito, mas, teve filhos e discípulos, se posso assim dizer, que falaram e falam sobre a forma como entendia as Sete Linhas de Umbanda.
O primeiro livro de Umbanda, que se tem noticia, publicado em 1933, chama-se O Espiritismo, a Magia e as Sete Linhas de Umbanda. Escrito por Leal de Souza, médium preparado por Zélio de Moraes,onde o mesmo, apresenta as sete linhas de Umbanda desta forma:

  Linha  - Santo Católico  -  Cor

1ª Linha de Oxalá –Jesus – branco

2ª Linha de Ogun – São Jorge -  vermelho

3ª Linha de Euxoce – São Sebastião – verde

4ª Linha de Xangô – São Jeronymo – roxo

5ª Linha de Nhá-San – Santa Bárbara - amarela

6ª Linha de Amanjar – N. S. da Conceição – azul

7ª Linha de Santo

Na explicação de Leal de Souza, a Linha Branca de Umbanda é que se divide nestas Sete Linhas e que além da Linha Branca há a Linha Negra formada pelos Exus e que é tratada a parte. A Sétima Linha é formada por espíritos egressos da Linha Negra e que trabalham principalmente no ca…