Pular para o conteúdo principal

Planeta Terra – A Era da Regeneração: Quem seremos nós?

Sabemos que os espíritos exilados de Capela, conhecidos como raça adâmica, foram banidos naquele mundo por ainda cultivarem dentro deles sentimentos contrários à lei de amor e fraternidade, tais como a rebeldia, o orgulho, o egoísmo e a violência.
Essa condição primitiva, dita inferior por aquele mundo (Capela) e pelos seus habitantes, que já estavam preparados para novas virtudes e avanços, foi o motivo que levou esses espíritos revoltados a morarem em outro planeta, a Terra, um mundo ainda em formação. O objetivo de eles estarem nessa nova morada era para expurgar as más tendências, elevar o coração e ascender o nível de consciência.
Muito tem-se falado, estudado, escutado e refletido sobre a fase de mudança que está acontecendo com o planeta Terra, que deixará de ser um mundo de provas e expiação para ser um de regeneração. O mesmo que se deu com Capela e muitos outros de nosso Universo. É a lei do progresso definindo seu rumo para nossa morada.
Diante dos acontecimentos diversos que o planeta tem sofrido com a violência, os desastres naturais, as doenças, entre tantos outros, reconhecemos que a “data limite” está batendo cada vez mais na nossa porta. O que toca o nosso coração e move nossa mente é saber o que será de nós e o que podemos fazer por nós. Seremos os novos capelinos em um outro mundo em formação ou permaneceremos na Terra e ascender com ela na nova fase?
Para agir de acordo com o progresso que o planeta está nos convidando, basta termos diariamente em nossa mente que há somente um único, intransferível e irrefutável caminho: a reforma íntima, o autoconhecimento, a regeneração do nosso espírito. Sim, deste espírito que está neste momento encarnado neste corpo e vivendo essa experiência. Você. Não tem saída: as consequências de nossas ações pretéritas e atuais estão chegando até nós.
A escolha que nos cabe é: como vamos lidar com elas? Com amor: pela resiliência e gratidão, aceitando a dor que nos fere agora, pois já ferimos alguém com a mesma, e transformando essa escuridão em luz, uma vez que hoje temos uma consciência diferente da do passado? Não nos disseram que é chegada a hora do testemunho?
Ou optaremos pela dor, pela revolta e pelo orgulho, que cega a oportunidade de nos transcendermos, que nos ilude afirmando que está tudo bem? Observe como é seu estado de consciência, seus pensamentos, suas emoções e sentimentos. Como se conecta espiritualmente? O que você é hoje reflete a condição que quer estar após o desencarne?
Todos somos doentes e precisamos de cura. Todos temos nosso tempo de regeneração e despertar. Já temos consciência do tempo que perdemos em escolhas contrárias à lei de Deus, por isso, nos é precioso aproveitar a oportunidade que nos é dada hoje, agora; agarrá-la com toda nossa fé, esperança e coragem e diariamente desfrutar da benção que é esse presente da vida que Deus misericordioso nos concedeu. Nós valemos a pena. Não desanimemos durante o caminhar.
Então, o que eu preciso fazer? Como vivenciar o bem e regenerar-me dia a dia? O mundo nos responde com infinitos recursos, técnicas, procedimentos, métodos e ferramentas que abrange todas as áreas da Ciência, Filosofia e da Religião e atende certamente a todos os estilos de vida e personalidade.
Desde terapias diversas que promovem o autoconhecimento físico, mental e espiritual, com sessões com psicólogos, acupunturistas, astrólogos; com palestras sobre transformação pessoal, motivação, espiritualismo; com passes, missas e orações em centros espíritas, terreiros de Umbanda e Candomblé, igrejas evangélicas e católicas, em retiros espirituais; com atividades meditativas, ioga, caminhadas; com leituras e estudos… Tudo se integra e se complementa.
O primeiro passo é nos reconhecermos falhos e imperfeitos e aceitar essa condição com alegria, pois não somos menos amados ou queridos por isso. Somos chamados a elevarmos nosso nível de consciência – para agirmos com mais amor e compaixão. A renovação em reformar-se deve ser diária a fim de não esmorecermos, de não desistirmos. Requer disciplina, responsabilidade, esforço e ação. É difícil, dá trabalho, mas a recompensa não tem preço.
Contribuindo para nossa reflexão, vale reproduzir um trecho de um artigo de jornal da NSC, escrito por Cacau Menezes. Nele, conta-se uma história de Mario Sergio Cortella, filósofo, escritor e educador, com seus filhos.
“[Mario] costumava dizer aos filhos quando crianças: ‘Quando completarem 12 anos contarei o segredo da vida a vocês’.
Quando o mais velho completou 12 anos, acordou o pai todo ansioso para saber o segredo da vida.
O pai disse: ‘Contarei, mas você não poderá revelar aos seus irmãos. Eis o segredo: Vaca não dá leite. Você tem de tirar. Você precisa acordar quatro da manhã, ir ao pasto, entrar no curral cheio de fezes, amarrar rabo e pernas da vaca, sentar no banquinho e fazer o movimento certo!’
Esse é o segredo da vida. Vaca, búfala, cabra, não dão leite. Ou você tira ou não tem leite. Existe uma geração que acha que vaca dá leite, ela acha que as coisas são automáticas. Eu quero, eu peço, eu ganho. A felicidade resulta do esforço. A ausência de esforço gera frustração.”
“A felicidade resulta do esforço. A ausência de esforço gera frustração.” Duas frases que causam um impacto profundo na maneira como encarar a vida e a nós mesmos. E reflete o momento de transição que estamos passando. Felicidade é o trabalho; é agir em favor de nossa reforma íntima e do coletivo; é promover o ensinamento “Amar ao próximo como a ti mesmo.”
Vamos arregaçar as mangas e trabalhar, servir, aprimorar, crescer, vencer, superar, animar, transformar. É isso que seremos daqui para frente: gente de bem, de coração mais leve e puro, de empatia e compaixão; de fé e esperança; de alegria e graça. E isso é bom, muito bom!

 Por: Diana Cappuzzo
 Fonte:radioboanova

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Homenagens a Yemanjá

Saudações caros irmãos leitores deste espaço.
Comemoramos dia 2 de Fevereiro o dia de Yemanjá, que podemos dizer sem medo de errar que se trata da maior manifestação de fé afro umbandista de ponta a ponta do litoral gaúcho.
Trata-se de uma data onde todos se reúnem para homenagear a grande mãe dos mares, numa legítima manifestação de fé e devoção, onde diversos Umbandistas, Católicos, Espiritualistas e irmãos e irmãs de tantas outras religiosidades se irmanam a beira mar num propósito de agradecimento e pedidos de saúde, paz e felicidade.
A Tenda não ficará de fora destas manifestações, e estaremos realizando dois eventos nestes dias:

O primeiro evento será a inauguração de uma imagem entronada a beira mar pelo irmão e Cacique Fábio Boff, dia 1º de Fevereiro, às 21:00hs, anexo ao antigo quiosque do Marzinho, em frente ao farol de Arroio do Sal.

O segundo será o trabalho próprio da Tenda, com o cruzamento dos médiuns da casa e sessão realizada a beira mar, dia 2 de Fevereiro, às 20:30hs, …

Orixás regentes do ano de 2019

Ao falarmos sobre este assunto cabe esclarecer que existem diversas maneiras de, digamos eleger os Orixás regentes do ano, e cada escola ou religião faz a sua maneira, seguindo a sua tradição. Fato que também temos a nossa.
Aqui no Rio Grande do Sul existe a tradição herdada do Batuque Gaúcho de eleger o Orixá que estará regendo o ano através do dia da semana em que cai o dia 1º de Janeiro. Então, 2019 temos o dia 1/1 em uma Terça feira, dia de Xangô, então o regente de 2019 será xangô.
Nós da Tenda de Umbanda Xangô 7 Raios preferimos adotar mais alguns critérios para fazer uma análise mais profunda, como regências astrológicas, além é claro de consultas aos oráculos.
Fato é que temos o ano de 2019  sob a regência do planeta Marte. Este planeta é regido pelo Orixá Ogum. Temos portanto também a participação deste Orixá no ano.
Em resumo então temos: Um ano onde Ogum estará regendo ao lado de Xangô. Sabemos que mais alguns Orixás satélites estarão próximos, mas como soberanos temos este…

Como Espiritualizar-se? – Dica de Chico Xavier

Existe uma crença precipitada de que espiritualizar-se é o desapego total às questões materiais da vida. Esse conceito errôneo pode se dar pelo fato de que o ser humano ainda dê tanta importância aos bens físicos e materiais que isola em um extremo o sua espiritualidade.
No livro Plantão de Respostas Pinga Fogo Volume II, no qual reúne às questões abordados no programa Pinga Fogo, da extinta TV Tupi, foi retirada a seguinte pergunta:

Por que vivemos cada vez mais pensando apenas nas coisas materiais e pouquíssimo nas espirituais?
Respeitando as imperfeições ainda presentes nos espíritos em provas e expiações, é importante analisarmos a resposta de Chico para iniciarmos ou darmos continuidade no processo de espiritualização. Chico responde assim:

“O homem atual vive deslumbrado com os bens materiais, que são colocados à sua disposição pela tecnologia que avança a cada dia através de uma propaganda que insiste em colocá-lo como caminho da felicidade. Porém, quando os adquirimos não compr…